segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

Amigo é um bem

Um amigo é um bem,
Um tesouro que se tem,
São as luzes das estrelas, 
Que nos guiam mais além.
São momentos bons e maus,
Nesta estrada percorrida,
E digo mais, não vos trocava
Por nada desta vida.


E talvez um dia, chegue a hora do adeus,
Deixar-vos-ei com pena, amigos meus,
Mas mesmo longe, vós estais perto,
Ao pé de mim,
Pois entre amigos é assim. 


Um amigo é um irmão
Nosso pensar, nossa mão. 
Meus amigos que estão aqui 
Para vós canto esta canção. 
O tempo voa neste instante, 
E já estamos de partida, 
E digo mais, não vos trocava
Por nada desta vida.


Para vós canto esta canção. @

quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Não te esqueças!

Vai e vem, vai e volta, vai mas fica, vai mas não te esqueças… não te esqueças daqueles que abriram os braços para te aparar quando caíste, não te esqueças quem te abraçou quando o teu coração palpitava de aflição, não te esqueças de quem te fez sorrir quando choravas em silêncio, não te esqueças da mão que te deram quando pensavas estar sozinho, não te esqueças que há quem nunca te deixe só.


Vai! Arrisca! Não tenhas medo! Não olhes para trás! 
Mas por favor olha para o lado, aí verás como não estás só. Não me vês com os olhos? Fecha-os, pois “o essencial é invisível aos olhos”. 
Não me sentes com as mãos? Toca no teu coração, se calhar estou lá. 

terça-feira, 19 de novembro de 2013

Se te queres matar...


Se te queres matar, por que não te queres matar?
Ah, aproveita! que eu, que tanto amo a morte e a vida,
Se ousasse matar-me, também me mataria...
Ah, se ousares, ousa!
De que te serve o quadro sucessivo das imagens externas
A que chamamos o mundo?
A cinematografia das horas representadas
Por atores de convenções e poses determinadas,
O circo policromo do nosso dinamismo sem fím?
De que te serve o teu mundo interior que desconheces?
Talvez, matando-te, o conheças finalmente...
Talvez, acabando, comeces...
E, de qualquer forma, se te cansa seres,
Ah, cansa-te nobremente,
E não cantes, como eu, a vida por bebedeira,
Não saúdes como eu a morte em literatura!

Fazes falta? Ó sombra fútil chamada gente!
Ninguém faz falta; não fazes falta a ninguém...
Sem ti correrá tudo sem ti.
Talvez seja pior para outros existires que matares-te...
Talvez peses mais durando, que deixando de durar...

A mágoa dos outros?... Tens remorso adiantado
De que te chorem?
Descansa: pouco te chorarão...
O impulso vital apaga as lágrimas pouco a pouco,
Quando não são de coisas nossas,
Quando são do que acontece aos outros, sobretudo a morte,
Porque é coisa depois da qual nada acontece aos outros...

Primeiro é a angústia, a surpresa da vinda
Do mistério e da falta da tua vida falada...
Depois o horror do caixão visível e material,
E os homens de preto que exercem a profissão de estar ali.
Depois a família a velar, inconsolável e contando anedotas,
Lamentando a pena de teres morrido,
E tu mera causa ocasional daquela carpidação,
Tu verdadeiramente morto, muito mais morto que calculas...
Muito mais morto aqui que calculas,
Mesmo que estejas muito mais vivo além...
Depois a trágica retirada para o jazigo ou a cova,
E depois o princípio da morte da tua memória.
Há primeiro em todos um alívio
Da tragédia um pouco maçadora de teres morrido...
Depois a conversa aligeira-se quotidianamente,
E a vida de todos os dias retoma o seu dia...

Depois, lentamente esqueceste.
Só és lembrado em duas datas, aniversariamente:
Quando faz anos que nasceste, quando faz anos que morreste.
Mais nada, mais nada, absolutamente mais nada.
Duas vezes no ano pensam em ti.
Duas vezes no ano suspiram por ti os que te amaram,
E uma ou outra vez suspiram se por acaso se fala em ti.

Encara-te a frio, e encara a frio o que somos...
Se queres matar-te, mata-te...
Não tenhas escrúpulos morais, receios de inteligência! ...
Que escrúpulos ou receios tem a mecânica da vida?

Que escrúpulos químicos tem o impulso que gera
As seivas, e a circulação do sangue, e o amor?

Que memória dos outros tem o ritmo alegre da vida?
Ah, pobre vaidade de carne e osso chamada homem.
Não vês que não tens importância absolutamente nenhuma?

És importante para ti, porque é a ti que te sentes.
És tudo para ti, porque para ti és o universo,
E o próprio universo e os outros
Satélites da tua subjetividade objetiva.
És importante para ti porque só tu és importante para ti.
E se és assim, ó mito, não serão os outros assim?

Tens, como Hamlet, o pavor do desconhecido?
Mas o que é conhecido? O que é que tu conheces,
Para que chames desconhecido a qualquer coisa em especial?

Tens, como Falstaff, o amor gorduroso da vida?
Se assim a amas materialmente, ama-a ainda mais materialmente,
Torna-te parte carnal da terra e das coisas!
Dispersa-te, sistema físico-químico
De células noturnamente conscientes
Pela noturna consciência da inconsciência dos corpos,
Pelo grande cobertor não-cobrindo-nada das aparências,
Pela relva e a erva da proliferação dos seres,
Pela névoa atômica das coisas,
Pelas paredes turbihonantes
Do vácuo dinâmico do mundo...

Álvaro de Campos, in "Poemas"
Heterónimo de Fernando Pessoa

segunda-feira, 11 de novembro de 2013

Antes da escuridão

São tantas batalhas
É tão funda a dor
São tantas imagens
De abandono e desamor
Há tanta gente caída
Sem ninguém que os abrace
Sem ninguém que os levasse
Antes da escuridão

Então desenho o teu corpo em mim
A forma da tua mão em mim
Pudesse ser essa forma do mundo inteiro
Acordo só para te ver dormir
Assim em paz

São tantos os medos
Calados por dentro
Estilhaços de guerra
Sem luar nem vento
Cravados tão fundo
No peito
Sem ninguém que os arranque
Sem ninguém que estanque
O mal que foi feito

São tantos olhares
De espanto, vazios
E é tanto o escuro
E faz tanto frio
Há gente caída no chão
Sem ninguém que os levasse
Sem que ninguém que os abrace
Antes da escuridão

Então desenho o teu corpo em mim
A forma da tua mão em mim
Pudesse ser essa forma do mundo inteiro
Acorda só para te ver dormir
Assim em paz

Então desenho o teu corpo em mim
A forma da tua mão em mim
Assim em paz





Senti-me perdida, senti-me fraca, senti-me abandonada, senti-me com medo, senti-me caída, senti-me sozinha, senti-me na escuridão... então Ele mandou-me um anjo sem asas, para que eu me senti-se encontrada, forte, segura, abraçada, e com luz. 
Esse anjo acordou-me de um sono profundo, para me mostrar como o mundo precisa de mim, como o mundo é belo. 

Esse anjo fez com que eu percebesse que apesar de me sentir sozinha, Ele não me deixa, e que Ele sabe o que faz, que Ele nunca me abandona, que Ele me abraça.

Esse anjo fez-me sentir importante, fez-me sentir forte, fez-me sentir especial, e fez-me lembrar que NADA ACONTECE POR ACASO.

Anjo, obrigada por me tirar da escuridão, obrigada por "Acordar só para me ver dormir em paz", obrigada pelo seu ombro, obrigada pelo seu coração, obrigada pela sua mão, obrigada pelo seu abraço, obrigada pela sua companhia, obrigada pelos olhares, obrigada pelos carinhos, obrigada pelo sorriso, obrigada pelas palavras, obrigada pelo silêncio, obrigada pela confiança, obrigada pela reciprocidade, obrigada por SER

"Tem pessoas que não precisam de ter asas para serem chamadas de anjos!"

sexta-feira, 1 de novembro de 2013

Hoje quero Agradecer.


Hoje quero agradecer a cada um de vocês... Vocês sabem como são importantes para mim, a importância que tiveram e têm na minha vida.
Por vezes riu-me sozinha quando me lembro dos momentos que passamos, uns desde que nasci, outros à menos tempo.
Não consigo encontrar palavras para descrever tanta gratidão para com vocês. Um simples Obrigada resume tudo.
Hoje decidi agradecer por aqueles que são fundamentais para a minha vida, sem nenhum motivo especial, simplesmente quero agradecer e dizer que vos AMO. 
Obrigada por nunca desistirem de mim e estarem sempre presentes!! *

terça-feira, 29 de outubro de 2013

...meu Senhor!

Meu Senhor, 
Tu que és grande, 
Tu que consegues tudo, dá-me forças Senhor.


Força para que seja feita a Tua vontade, força para conseguir ultrapassar todos os problemas que por alguma razão colocaste no meu caminho. 

Senhor por vezes duvido, duvido se foste Tu que os colocaste, se foi eu, se foi outro alguém. Duvido Senhor, pois muitas vezes não consigo entender qual o motivo de me confrontar com eles. Meu Senhor, duvido também mim, pois tenho medo de não os conseguir ultrapassar e simplesmente passar ao lado.

Parece que por vezes os problemas ainda estão apenas a começar, sei que tenho de aproveitar cada minuto que me dás, pois o tempo é muito curto, mas então Senhor dá-me forças, ou sabedoria para saber como lidar com os problemas. 

Por vezes gostava de gritar ao mundo o quanto me levei por Ti, lembrar-me de cada segundo que passamos, cada segundo que contigo pude falar, pude chorar, pude rir, pude gritar, pude lidar, pude rezar. Gostava de dizer ao mundo como és magnifico, como és carinhoso, como és PAI.

Senhor, também na nossa vida vão passando pessoas que julgamos anjos do céu, enviados por Ti para nos guiar. Por eles rezo, e por eles mantenho-me firme, por eles sei que ainda estás aí, sempre pronto a me abraçar, pronto a me acarinhar, pronto a me ouvir, pronto a me amar
Senhor cuida deles, sei que fazes isso melhor que ninguém, mas peço-Te que olhes para cada um deles, porque mesmo estando longe de alguns deles sei que conTigo posso contar para cuidar bem deles.


Senhor, obrigada por nunca Te afastares de mim, e desculpa por eu me afastar de Ti.

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

O Constante Diálogo

Há tantos diálogos

Diálogos com o ser amado
o semelhante
o diferente
o indiferente
o oposto
o adversário
o surdo-mudo
o possesso
o irracional
o vegetal
o mineral
o inominado

Diálogo consigo mesmo
com a noite
os astros
os mortos
as ideias
o sonho
o passado
o mais que futuro

Escolhe teu diálogo
e
tua melhor palavra
ou
teu melhor silêncio.
Mesmo no silêncio e com o silêncio
dialogamos.

Carlos Drummond de Andrade, in "Discurso da Primavera"

domingo, 27 de outubro de 2013

Onde estás?

Esta é para ti...
Não tenho muito mas o pouco que tenho é teu, se mais ninguém te ouvir tu sabes quem te ouve sou eu, e quando tiveres triste, com falta de um amigo, fecha os olhos não temas porque eu vou estar aqui contigo.
Eu sei que pensas muitas vezes que queres fugir, eu sei que gritas e não tens ninguém para te acudir. Vida madrasta nada corre como a gente quer, tens que enfrentar o destino para o que der e vier, ao meu alcance faço tudo o que poder para ti, peço desculpas pelos erros, sei que os cometi, não vou julgar-te porque também eu posso ser réu, não vou julgar-te porque tem te julga está no céu.
Quero que saibas que podes contar com o meu amparo, amizade pura é um sentimento cada vez mais raro, conto contigo para fazeres o que faço por ti. E quando nada correr bem eu ESTOU AQUI.

Se precisares de mim eu estou aqui
Quando quiseres falar eu estou aqui
Se te faltar um amigo eu estou aqui
Se precisares de alguém eu estou aqui. 

Tantas as coisas que juntos fizemos tu e eu, custa a crer mas a verdade é que o tempo correu, nem sempre é fácil ás vezes frases magoam, sem deixar mágoas porque amigos são os que perdoam, é quando se vê quem é amigo de quem, no mal e no bem, sentindo desdém rodeado de gente sem nunca ter ninguém, alguém para falar, sempre pronto a escutar, a mão que se estende, a mão que te ajuda a levantar.
Quem te corrige quando tu não sabes o que é certo, quem te dá água quando te perdes nalgum deserto, sempre por perto sempre pronto para chorar ou rir, quem te conhece e sabes quando tu estás a mentir.
Não sou perfeito mas sabes que sou sincero, nunca te esqueças de mim aqui é tudo o que eu quero e espero que nada nem ninguém nos faça separar, conto contigo, comigo podes sempre contar...
EU ESTOU AQUI...

sábado, 26 de outubro de 2013

Vens?

Vem senhor, ensina-me a rezar. Vem Senhor, ensina-me a esperar. Quero ter uma razão para viver, algo para eu acreditar, eu só quero Amar a TI Senhor!!

Então saberei, qual o caminho a seguir encontrarei a razão de existir!

Sei Senhor, que um dia TU verás, este mundo que te pede amor e paz, construir algo que a todos trará alegria e de sentir que esta vida mudará. (…)

SIMPLUS - Vem Senhor


quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Para aqui....

Sentada na secretária do meu quarto, olho pela janela e vejo a chuva a cair tão fortemente. Mas sinto-me estranha pois não me sinto tão segura como antes, pois antes sabia tão bem estar em casa no quentinho e ouvir a chuva a cair lá fora, agora o vazio cresce e o frio também e por vezes sinto como se chuva estivesse a cair mesmo aqui no quarto. 
A vida tem destas coisas, sair daquilo que nos é querido, sair de junto daqueles que amamos, daqueles que estiveram sempre connosco, que riram connosco, choraram connosco, aqueles que apanharam chuva connosco ... Já dizia a música "...e a Vida não vai parar..." por isso é que tenho de arranjar forças, arranjar coragem, arranjar alegria para continuar e conseguir ultrapassar tudo com mérito. 
É difícil conseguir ouvir aqueles que amamos apenas por telemóvel, ou ver do outro lado do ecrã, é difícil dizer que amamos e não podermos lhes abraçar nem dar um beijo grande ou simplesmente um carinho. É difícil deixar as nossas rotinas, os nossos passa tempos, os nossos grupos, as nossas coisas e as nossas PESSOAS. 
"...o que tem de ser tem muita força!". Obrigada a todos aqueles que não me deixam mesmo estando longe.  

quinta-feira, 18 de julho de 2013

Mais uma ETAPA...

FINALMENTEEE!!!

Mais uma etapa da minha vida concluída.
Neste momento sinto-me mesmo contente por olhar para trás e ver tudo o que passei, todas as pessoas que que pela minha caminhada passaram.

Desde o meu primeiro professor de Flauta transversal José Manuel Teixeira (o meu querido TIO) que foi quem deu comigo os primeiros passos na flauta e na música, é sem dúvida um exemplo para a minha vida! 

Claro que depois à minha querida professora e amiga Eva Rodrigues!! Pessoa e flautista maravilhosa. Com ela aprendi tanto, mas tanto... A nível flautístico e pessoal. É uma pessoa que tem um coração de ouro. Passamos muitos momentos juntas e ela faz-me muita falta como amiga e professora. Pessoa dedicada, lutadora, alegre, compreensível, amiga, ouvinte... uma pessoa que contagia qualquer um. A ela devo o meu nível  flautístico, a ela devo a força que tenho para ultrapassar muitos obstáculos, a ela devo a minha mudança, a ela devo o meu amor pela flauta, a ela devo a minha cultura musical, a ela devo a minha alegria quando toco, a ela devo muito!!

Agradeço também a minha família que sem ela seria impossível chegar a esta etapa (A minha mamã, o meu papá e a minha mana). Apoiando-me sempre no dia a dia, nos momentos mais difíceis, pessoas que sei que NUNCA me vão abandonar.

Ao meu namorado lindo, com a sua presença constante foi sempre sem dúvida um porto de abrigo, um refugio que me abrigava nos dias de maior tempestade. Alguém que quero ter ao meu lado por muito tempo @@

Aos meus colegas de curso, que tiveram de me aturar durante alguns anos, muitas vezes com problemas outras vezes com alegrias, mas a verdade é que acabamos isto juntos. A vocês meus amores, devo muito, pois era vocês que me ouviam sempre que estava triste ou desmotivada (Marcelo, Daniel, Valter, Francisco, Fábio, Nicole, Mariana O., Mariana F., Alexandra, Celso, Melissa, João, Gonçalo, Daniela, Sara e a minha Joaninha). Joaninha ficou para ultimo porque apesar de ser uma grande colega como todos os outros foi a minha colega de naipe, foi a minha colega de aventura, foi a minha colega de curso, foi a minha colega das lágrimas, foi a minha colega das gargalhadas, foi a minha colega das loucuras, foi a minha colega de conversas longas, foi a minha colega dos desabafos, foi a minha colega de vida, foi a minha colega de FLAUTA.

A todos aqueles que puderam estar presente neste concerto de final de curso, que sem dúvida foi um culminar de uma etapa de vida difícil, mas LINDA.
 - Namorado lindo (a tua presença é indispensável)
 - Mamã, papá e mana (que era de mim sem vocês)
 - Maria José (Madrinha linda, a sua presença e sorriso são mesmo importantes para mim)
 - André, Cristina e Micaela (Vocês são peça essencial para todo este puzzle)
 - Prof. Carla e a Carolininha (Nada acontece por acaso, apareceram no momento exato a hora exata
 - Nicole, Francisquinho, Mariana's (É nestes momentos que vê-mos quem está realmente connosco)
 - Sousa (OBRIGADA, :D)
 - Inês (nada acontece por acaso minha querida, Camacha em peso)
 - A todos os professores presentes principalmente a minha professora de flauta (professora Rita) e a minha professora acompanhadora (professora Olga) que agradeço pelo seu GRANDE trabalho!! :D

E a todos aqueles que me apoiaram ao decorrer deste percurso, a professores a amigos, conhecidos e colegas.

OBRIGADAA**

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Apenas fecho os olhos...

Apenas fecho os olhos e imagino... 
imagino o teu cheiro a chegar a mim e calmamente os teus braços grandes e um tronco forte agarram-me tão fortemente que é como se me sentisse segura para sempre, sinto como se naquele momento não quisesse mais nada, apenas ficar ali, contigo.
Fecho os olhos e imagino...
como se a tua mão tivesse a passar na minha cara e a por o meu cabelo atrás da orelha, imagino como se lentamente o teu respirar fosse ficando mais perto de mim e calmamente sentisse os teus lábios nos meus, um gesto de maior amor, carinho, felicidade...
Fecho os olhos e imagino... 
Quando vens e agarras-me e levantas-me e rodas como se fosse uma bailarina, e nesse momento apenas sinto-me feliz.
Imagino...
Nós sentados a beira mar, e tu com a cabeça no meu colo e eu a poder te dar carinhos e mexer no teu cabelo.
Ainda quando fecho os olhos consigo imaginar...
De noite, deitados num parque de relva a olhar para o céu, e nesse momento tenho a certeza que a pesar de ter muitas estrelas no céu a maior está ao meu lado.
Apenas fecho os olhos e imagino...
um tapete grande e
quando abro os olhos olho em frente e vejo-te a minha espera! =)

E com toda a certeza sei que TE AMO @@

sábado, 4 de maio de 2013

Fraqueza

«...então a dor tomou conta de mim mais uma vez. Eu, ali, com o telefone na mão, ouvindo palavras que juntas tinha um poder assustador de mim ferir. Eu percorria o quarto com o olhar, minhas pernas eram incapazes de se comportar, meu olhos eram como uma fonte, no meio de tanto silêncio ensurdecedor era possível ouvir o meu coração partindo-se lentamente. (...) 


(...) tua voz que há muito havia me confortado agora acabava com um sonho bonito (...)

Se a vida me der dez motivos para chorar eu lhe darei onze e sorrirei para ela, se o mundo me derrubar eu levantarei e recuperarei e agradecerei pelo tombo. Só, então passarei a ser forte e não temer a dor.

(...) mas quando chegas, força?»

Camila Savi

segunda-feira, 22 de abril de 2013

PÁRA um momento!


Pára um Momento!

Pára um momento, junto dele.
Pára um momento e tenta perceber qual a tua vontade mas principalmente qual a VONTADE dele.
Pára um momento e olha a tua volta.
Pára um momento, tenta perceber quais as pistas que Deus te dá para seres feliz.
Pára um momento, e tenta perceber o porquê de tanta dor.
Pára um momento, e tenta perceber porque te sentes vazio.
Pára um momento, olha para as coisas com os olhos da fé e da razão.
Pára um momento, e percebe com quem podes contar.
Pára um momento, e vê o que é realmente importante para ti.
Pára um momento, e percebe porque choras.
Pára um momento, e tenta perceber o porquê de não conseguires explicar aquilo que sentes.
Pára um momento, e vê se tens sido correto.
Pára um momento, e vê quem é o teu abrigo.
Pára um momento, e tenta encontrar-te.
Pára um momento, mas ...

ARRISCA!

segunda-feira, 1 de abril de 2013

Seguir...

"Tua caminhada ainda não terminou...
É certo que irás encontrar situações
tempestuosas novamente,
mas haverá de ver sempre
o lado bom da chuva que cai
e não a faceta do raio que destrói.

Tu és jovem.
Atender a quem te chama é belo,
lutar por quem te rejeita
é quase chegar a perfeição.
A juventude precisa de sonhos
e se nutrir de lembranças,
assim como o leito dos rios
precisa da água que rola
e o coração necessita de afeto.


Não faças do amanhã o sinónimo de nunca,

nem o ontem te seja o mesmo
que nunca mais.
Teus passos ficaram.
Olhes para trás...
mas vá em frente
pois há muitos que precisam
que chegues para poderem seguir-te."



Charles Chaplin

sexta-feira, 29 de março de 2013

A fraqueza dos homens

Hoje é dia de pensar, dia de meditar, dia de orar.

Hoje é dia de jejum, dia de penitência, dia de abstinência.

Hoje é um dia para parar, parar e pensar naquilo que nós Humanidade fizemos, e continuamos a fazer. Porque infelizmente a crucificação de Jesus Cristo não foi apenas à 2000 anos atrás, cada vez mais o temos crucificado.

Eu, Tu ... todos nós continuamos a crucifica-Lo, com as nossas dúvidas, com os nossos pensamentos, com os nossos atos.

Reza, medita ... tenta compreender, aceitar, amar isto que é a nossa religião, a nossa vida.

Não tenhas dúvidas que mesmo fosses única pessoa do mundo Ele morreria na mesma por ti.

domingo, 24 de março de 2013

Há pessoas...

Há pessoas que valem mesmo a pena. 
Pessoas que vêm para ficar, pessoas que sentimos que são mesmo anjos enviados por Deus.
Pessoas que valem o mundo, pessoas que têm um coração enorme, pessoas que nos fazem rir sem nós querermos, pessoas que choram connosco, pessoas que nunca nos abandonam, pessoas que mesmo longe parece que estão tão perto.
Há aquelas pessoas que passamos muito tempo sem as ver, mas quando estamos com elas parece que estivemos juntos ontem. 
Há pessoas que conseguem tornar os nossos dias especiais, a penas com a sua presença, outras com poucas palavras conseguem encontrar a solução para os nossos problemas.
Há aquelas que nos fazem chorar muito, mas que mesmo assim não deixamos de gostar delas, porquê?

Porque a pesar de tudo foi alguém que nos ensinou muito, e que foi muito importante.

Tu sabes*