quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Minha Ilha <'3

Quando tudo isto começou, não passava de um pequeno incêndio, tendo em conta tudo o que a nossa ilha já tinha passado nada de impressionante era.

As horas iam passando e as fotos iam chegando, os vídeos, os comentários, as chamadas, as mensagens.

 A verdade é que a minha casa estava bem, os meus estavam bem, eu estava bem. 

Mas a dor que sentia e sinto aqui dentro é inscritível.

Pensar que amigos perderam tudo, lugares onde passei muitos momentos já não existiam ... mas principalmente ver tanta tragédia sem nada poder fazer.

Ouvia choros do outro lado do telemóvel sem nada poder fazer, amigos a fugir de casa sem saberem para onde ir e sem saber se quando voltassem ainda teriam casa.

Todo o tempo era passado entre a televisão, a Internet, e o telemóvel ... e mesmo assim parecia que toda a informação era pouca.

Quando as coisas pareciam já ter acalmado o fogo chega à minha terra... depois de tudo o que já tinha visto, não conseguia deixar de pensar que a qualquer momento poderia chegar à minha casa

Nesse mesmo momento olhei para casa, e até as paredes apeteceu-me beijá-las. 

São memórias, é uma vida ... É algo material sim, mas todos nós sabemos o significado da palavra lar, todos nós sabemos a vontade de querer estar em casa, a vontade de ir para casa, o amor que temos pela nossa casa. 
CASA, e uma palavra pequena mas que tem significado grande para todos.  

10 de agosto, sempre foi um dia muito importante para mim, pois é o dia do meu padroeiro, do meu santo, do meu ídolo: São Lourenço. E foi um dia de aflição, dia que não esquecerei ... dia de medo, pânico, tristeza, recordações ...
Se senti tudo isto e não perdi o que era meu, não consigo imaginar o que sentem aqueles que perderam tudo. 

Hoje as mortes não são apenas números, as casas não são apenas edifícios, os sítios não são apenas lugares, e o medo não é apenas uma sensação ... Tudo isto é real e tudo isto dói.

Era muito bom acordar amanhã e perceber que tudo isto não tinha passado de um pesadelo.
Nós madeirenses já merecíamos alguma paz e calma.

Quando tudo falha, quando já nada esperamos só nos basta uma coisa.

A FÉ! Meu Deus, meu Senhor, meu Amparo, obrigada pelos meus, obrigada pelo meu lar, mas por favor reconforta os corações daqueles que perderam tudo.
E tem piedade daquele que causou toda esta dor, porque nós humanos somos fracos, e a raiva é muita.
E por favor, não deixes passarmos por isto novamente.

Hoje, que é dia de São Lourenço, Mártir, que morreu assado numa grelha, parece que nada vem por acaso. Ele que sentiu a dor das chamas no corpo, interceda por todos aqueles que sentiram a dor de perder tudo por causa das chamas. 

Que Deus nos proteja e nos acalme. 

Sem comentários:

Enviar um comentário